terça-feira, 7 de julho de 2015

Escola de Atualização Catequética do Regional Sul I- CNBB


Deu inicio neste dia 07 de julho a Escola de Atualização Catequética (segundo módulo), que irá até o dia 10 de julho no Espaço Anhanguera-Perus, conta com a participação de noventa alunos. 
 Objetivo: Favorecer a formação Bíblico-Catequética das equipes diocesanas estimulando a dedicação na formação de novos catequistas, discípulos missionário.

Tema: Eixos Temáticos II – Escola Regional

       



Cronograma do 1º dia:

·        

           Abertura às 14hs, com o Coordenador do Regional SUL I – Padre Paulo Gil

·         A primeira aula foi Catequese e Liturgia: A fé transmitida e celebrada –                   Professor Padre Luiz Eduardo Baronto.

        Pe. Luiz Baronto esclarece que a Convergência entre Catequese e Liturgia é:

1.   A Liturgia: Tem sido a Fonte e o Ápice de nossa catequese? (DNC 115)

2.   A Catequese: tem realizado verdadeira iniciação litúrgica? (DNC 53)

E o professor Pe. Luiz Baronto foi desta forma desenvolvendo sua formação.

Da Diocese de Santos, participam: Maria de Lourdes Farto Chaves, Katia Gonçalves Esteves, Mirtes Regina de Paula Guimarães e Maria Salete Sampaio, com alegria e responsabilidade demos início a mais um aprendizado!




Fonte: fotos Imaculada Cintra

Catequese e Liturgia: A Fé transmitida e Celebrada

Às 14:00 do dia 07 de julho de 2015, iniciou a Escola de Atualização Catequética do Regional Sul I - CNBB. Eixos Temáticos II.

Objetivo: Favorecer a formação Bíblico-catequética das equipes diocesanas estimulando a dedicação na formação de novos catequistas.

Padre Luiz Eduardo P. Baronto, fez uma explanação sobre a necessidade de haver uma comunhão entre a Pastoral Catequética e a Pastoral Litúrgica.

Com a frase "Em busca da unidade perdida" Padre Luiz iniciou dizendo que apesar do diálogo difícil, da relação insuficiente e do encontro problemático, entre estas duas formas de evangelizar, é preciso lembrar-se que a Fé deve ser transmitida e celebrada.

A formação litúrgica dos catequistas é extremamente importante para que possa acontecer ensinamentos mais concretos sobre o que se faz simbolicamente na catequese e o que se celebra na liturgia sacramental.

A catequese tem que aproveitar o tempo todo as oportunidades de ensinar as orações cristãs, para que no momento celebrativo o catequisando possa celebrar, sabendo seguramente o que está celebrando. De posse deste conhecimento a participação na celebração será mais adulta e responsável.

O tempo de estudo catequético tem no momento celebrativo o ápice daquilo que foi transmitido, uma catequese que procura acompanhar o tempo litúrgico, permite ao catequisando compreender aquilo que está acontecendo e por que está acontecendo.

A liturgia tem sido fonte e o ápice de nossa catequese?

A catequese tem realizado verdadeira iniciação litúrgica?

Qual o papel da liturgia para a catequese?


Fazei isto em memória de mim, disse Jesus. A Liturgia é um rito, é repetição, pois cabe ao Padre, na Celebração Eucarística, repetir os mesmos gestos de Jesus Cristo. A Liturgia é a mesma, mas a vida muda a cada segundo, portanto, quando participamos conscientemente da celebração, devemos sair dela transformado, para transformar o mundo que nos cerca.

Como os catequistas veem a Liturgia?

Como os que atuam na liturgia veem os catequistas?

A conquista da criança, do adolescente, do jovem e do adulto, que participam da catequese, para a participação na Celebração Eucarística ou da Palavra, está atrelada a uma educação religiosa mais elaborada e participativa, com explicações claras e objetivas.

A Educação para a fé, tem quatro pilares importantes:

Crescimento humano, Encontro com Cristo, inserção na comunidade eclesial e empenho pelo reino.

Nossas orações de pedido também têm quatro colunas fundamentais:

Invocação do nome de Deus.

Recordação do que Deus fez.

O que Deus faz por nós.

A presença salvífica a de Jesus Cristo.

Uma celebração bem planejada tem esses elementos;

Abertura, momento de oração. Proclamação da Palavra de Deus. Valorização do Sacramento. Despedida e compromisso.

O que podemos fazer para trazer a liturgia para dentro da catequese? CIC 1234.

A melhor forma de fazer uma catequese litúrgica é fazer uma boa celebração.


A convergência entre catequese e liturgia acontece quando a sintonia entre ambas acontece de forma planejada. Como por exemplo. A importância de saber cada passo do que vai acontecer para que não haja surpresa e nem susto. A Liturgia bem feita é rotina sem pregar susto.

Liturgia e catequese, é gestual e pouco discurso. Aquilo que não é bem celebrado, não consegue atrelar-se avida, perdendo o sentido.

As celebrações litúrgicas é profissão de Fé em atos. Não é ritualismo, sem significado, vazio.

Mateus 28, 19-20, diz exatamente como deve ser a catequese e a liturgia. Qual a nossa missão.

A mistagogia, introdução ao mistério de CRISTO, PASSA PELA CATEQUESE, LITURGIA E VIDA.

A catequese e a Liturgia têm de caminhar unidas para que a economia da salvação se torne realidade em nossa evangelização.

A catequese educa o futuro cristão para que perceba que tudo o que acontece na Liturgia é verdadeiro, ritual que conduz ao compromisso.

A celebração bem preparada liturgicamente, conduz o fiel a responder com perseverança e vida a última frase da celebração: “IDE EM PAZ E QUE O SENHOR VOS ACOMPANHE”, completo dizendo, levar para nosso cotidiano em todas as instancias, o que vimos, ouvimos na celebração da Eucaristia ou DA Palavra.


Fonte: Catequese e Bíblia -  Domingo Nunes  -  Irmã Giovana

Nenhum comentário: