segunda-feira, 30 de abril de 2018

Semana Catequética 2018 - Formação para Discípulos e Discípulas Missionários(as)




A iniciação à vida cristã não é, portanto, uma tarefa apenas da catequese e de catequistas, mas é uma ação de toda a comunidade de fé.
Por isso, convidamos a todos, padres e leigos agentes de pastoral a participarem da Semana Catequética. Todos devemos nos empenhar no anúncio do querigma e na iniciação à vida cristã de nossos irmãos. Para que isto aconteça, é necessário que nossas comunidades eclesiais sejam testemunho vivo de Cristo, e que renovemos nossa catequese de forma consistente, inspirando-nos na iniciação catecumenal das primeiras comunidades cristãs.
“Ide e fazei discípulos meus todos os povos” (Mt 28,19)! O mandato de Jesus é sempre atual, e a Iniciação à vida cristã com inspiração catecumenal é a forma de concretizarmos esta missão confiada à Igreja. Não nos falta o Espírito Santo prometido pelo Senhor para que a realizemos da melhor forma nos dias atuais. (Parte da apresentação de Dom Tarcísio na abertura da Semana Catequética.)

Dom Tarcísio Scaramussa, SDB
Bispo Diocesano de Santos




Algumas Regiões que já realizaram a Semana Catequética.
Região Litoral Centro - Paróquia Santo Antonio/ Praia Grande. 






Região de São Vicente - Paróquia Nossa Senhora do Perpetuo Socorro 





Região de Litoral Sul  - Nossa Senhora do Sion - Itanhaém



domingo, 29 de abril de 2018

CURSO EVANGELIZAÇÃO NO AMBIENTE DIGITAL





Existe lugar para a vivência da fé neste novo mundo dominado pela tecnologia? Essas e outras questões relacionadas com a evangelização na internet, nas redes sociais, religião online estarão sendo apresentadas no curso “Evangelização no Ambiente Digital”, Que será ministrado de 15/5 a 26/6, no Liceu Santista, E está sendo promovido pelo Instituto de Teologia São José de Anchieta – Diocese de Santos.

Inscrições abertas. Saiba mais: (13) 3228-8881 - diocesedesantos@gmail.com
Instituto de Teologia São José de Anchieta – Diocese de Santos.Inscrições abertas. Saiba mais: (13) 3228-8881 - diocesedesantos@gmail.com





sexta-feira, 27 de abril de 2018

ENCONTRO DOS PADRES ASSESSORES DO REGIONAL SUL I DA CNBB

Nesta semana os padres assessores diocesanos da catequese se reuniram nos dias 24 a 26 de abril em Campos do Jordão, interior de São Paulo para Encontro dos assessores do Regional Sul1 (Estado de São Paulo) da CNBB da Animação Bíblico Catequética. 


A abertura do encontro começou com o almoço e posteriormente com a missa celebrada pelo Bispo assessor referencial da AB-C (Animação Bíblico-Catequética), Dom Tomé Ferreira da Silva, de São José do Rio Preto. Dom Tomé, frisou em sua homilia a Festa de São Marcos e a importância da missão do leigo e da leiga nesse processo de iluminação da fé e como os assessores diocesanos precisam ter clareza nesta mudança de época e a na mentalidade da ação do Espírito Santo.


Padre Marcelo Machado, coordenador do Regional Sul 1 da Animação Bíblico Catequética deu as boas vindas calorosas a todos os presentes e disse que hoje os assessores não são apenas sacerdotes, mas ampliou-se para seminaristas, religiosas (os) e fieis leigos.  

O tema trabalhado no encontro dos assessores foi " O papel do assessor diante dos desafios dos novos interlocutores e da nova metodologia da Iniciação à Vida Cristã". O assessor do encontro foi o Padre Domingos Ormonde da Diocese de Duque de Caxias, Baixada Fluminense do Rio de Janeiro. 

Os principais pontos abordados foram:

º Faixas etárias de cada idade: Crianças, adolescentes, jovens e adultos. Neste ponto foi trabalho a importância de renovar os encontros no sentido de apresentar Jesus, como Mestre. Sendo assim, é necessário que todos nós aprendamos a re-catequizar os nossos catequistas, presbíteros e a comunidade como um todo. E ensinar que não devemos apresentar um cronograma de temas a serem trabalhados como numa escola, iniciando pelo Antigo Testamento na primeira etapa e na segunda o Novo Testamento.

º Como inserir a catequese no calendário litúrgico: Neste ponto foram colocados pontos específicos de como a catequese e a liturgia diocesana e paroquial deve trabalhar em comunhão. E os ritos devem ser preparados em conjunto. Vale ressaltar, que em nossa Diocese já estamos aplicando essa metodologia de forma progressiva. Este ano lançamos um documento em comunhão com a Liturgia Diocesana sobre datas, temas do Catecumenato. 

 
Diante da temática abordada nos Encontros dos Assessores do Regional Sul 1, pude observar que a nossa Diocese Particular de Campo Limpo está num caminho adiantado em relação as demais dioceses do nosso Regional, tanto no ponto liturgia e catequese como preparar os catequistas para iniciarem seus catequizandos e catecúmenos a fazerem o encontro o Mestre. Os documentos que norteiam esse processo é o RICA e o documento 107 da CNBB, algo que estamos trabalhando ardentemente com a coordenação diocesana para incentivar os nossos catequistas e presbíteros a uma catequese permanente e não sacramentalista. Também pude perceber que diante das diversas realidade do nosso Estado, estamos bem estruturados em formação e alinhados com orientações da CNBB. Estamos num caminho de nos tornamos "Casa da Iniciação à Vida Cristã". 

Alguns catequistas tem certo receio nessa nova  proposta de Evangelização, que foi colocada no DGAE 2011/2015, DGAE 2015/2019, Documento 107, Documento de Aparecida e o Itinerário Catequético. Sabemos que hoje são os avós que levam nossas crianças e jovens a Igreja, e não mais os pais, devido eles não frequentarem a Igreja ou estarem trabalhando. São os avós que passam essa fé a eles, e por isso a catequese familiar deve ser cada vez mais incentivada em nossas comunidades. Para isso será necessário uma integração mais ampla de todas as pastorais através da Pastoral de Conjunto.
Um dado apontado e muito relevante no Encontro dos assessores, foi que houve um crescimento expressivo de adultos (catecúmenos) iniciados na fé em nosso Regional. 



Volto renovado deste Encontro, e como afirma nosso Papa: "A cada mulher grávida, quero pedir afetuosamente: Cuida da tua alegria, que nada te tire a alegria interior da maternidade. Esta criança merece a tua alegria. Não permitas que os medos, as preocupações, os comentários alheios ou os problemas apaguem esta felicidade de ser instrumento de Deus para trazer uma nova vida ao mundo. Ocupa-te daquilo que é preciso fazer ou preparar, mas sem obsessões, e louva como Maria: “A minha alma glorifica o Senhor e o meu espírito se alegra em Deus, meu Salvador, porque pôs os olhos na humildade da sua serva “ (Lc 1, 46-48). Vive, com sereno entusiasmo, no meio dos teus incômodos e pede ao Senhor que guarde a tua alegria para poderes transmiti-la ao teu filho".



Ou seja, devemos nós também fazermos esta gestação com as nossas crianças, jovens e adultos para que eles se abram para esta nova evangelização. Convoco todos os cristãos leigos e presbíteros para essa catequese de INICIAÇÃO À VIDA CRISTÃ.

Que a Paz de Cristo esteja convosco.


Fonte: 

Secretariado de Catequese da Diocese de Campo Limpo.



quinta-feira, 26 de abril de 2018

Semana Catequética 2018 - Formação para Discípulos e Discípulas Missionários(as)

Paróquia Nossa Senhora Aparecida - Cidade de Santos/SP







23/4_ Primeiro Encontro da Semana Catequetica na Paróquia N. S. Aparecida/Santos, com a presença do pároco Pe. Lucas Alves e membros de diversas pastorais. 
Os encontros prosseguem até a próxima sexta-feira (27).

segunda-feira, 2 de abril de 2018

Artigo de abril 2018 - Padre Aparecido Neres Santana

JESUS, O BOM PASTOR, QUE DÁ A VIDA PELAS SUAS OVELHAS.


Neste Artigo, Catequético Bíblico-Missionário, refletiremos o Evangelho de São João, 10, 11-18, do 4° domingo da Páscoa, tempo do ressuscitado. É dentro deste contexto, que a comunidade joanina, entende que Jesus é O Bom Pastor, instruindo, curando, perdoando e acolhendo o povo em geral, principalmente os pobres e excluídos. No tempo de Jesus, os pastores estavam presentes por a toda parte na Palestina. Eram uma figura vastamente conhecida, em especial pelo povo camponês. Por conta da identidade que tinham com as ovelhas, muitas vezes estas, ficavam não no redil, mas dentro da casa, junto com a família.
Com a afirmação de Jesus - “Eu sou o bom Pastor; o bom pastor dá a sua vida pelas suas ovelhas” (Jo 10,1), João aponta para o centro da perícope. A tradução melhor seria - Eu sou o “pastor verdadeiro”. A forma “Eu sou”, não indica uma simples revelação, mas uma promessa e um compromisso. Dê um lado o Cristo é o único e exclusivo pastor, e do outro, “o mercenário, que não é pastor” (Jo 10,12), os chefes judaicos, sobretudo os religiosos, que são os falsos pastores. João aponta porque diferentemente do mercenário, Jesus dá a vida pelas ovelhas, “Ninguém tem maior do que aquele que dá a vida por seus amigos” (Jo 15,13). O amor de Cristo-Pastor, não tem limites e não faz distinção entre (vv. 16-17), judeus e pagãos que são co-envolvidos no mesmo amor. Na universalidade da salvação. Jesus dá a vida por sí mesmo, com plena liberdade. Apesar dos poderes, político, econômico e especialmente o religioso, assassinarem Jesus, a ação é toda de Jesus. Ele se entrega totalmente na radicalidade, com plena liberdade, despojando-se de tudo, da condição humana, e mesmo sendo divino, não se apegou nem mesmo a essa condição. Isto faz com que, o que está sendo julgado e condenado, apesar da morte na cruz, não é Jesus, mas sim os seus algozes. A morte de Jesus é salvífica, livre, gesto do amor maior, em obediência ao Pai. Portanto, todas as pessoas devem reencontrar-se em um só rebanho, em torno de um só pastor. Não é um só redil, mas um só pastor e um só rebanho. Ao chamar as ovelhas pelo nome, faz com que elas “saiam”, faz com que elas façam um êxodo, do redil às pastagem abertas, à liberdade, à vida plena. “Saída missionária” em busca das ovelhas.

Para refletirmos:E nós como discípulos missionários, seguidores de Jesus, estamos acolhendo bem os que chegam a nossa Comunidade?
E como catequistas evangelizadores, estamos indo atrás de nossos catequizandos, quando eles, recebem a 1ª Eucaristia e não voltam mais, ficando fora do rebanho, deixando de buscar a Cristo?

Pe. Aparecido Neres Santana - Assessor Eclesiástico da Comissão AB-C