sábado, 19 de julho de 2014

ASSEMBLEIA DA ANIMAÇÃO BÍBLICO-CATEQUÉTICA REGIONAL SUL I



A Assembleia tem como objetivo conduzir o catequista a compreender o seu papel e da comunidade frente a missão de evangelizar. O tema foi desenvolvido pelo Pe. Roger Mateus, reitor do seminário de filosofia da Diocese de Taubaté, dividido em dois momentos:
 
Tema - Catequista e Comunidade Protagonistas para a Nova Evangelização

Parte da manhã: Chamados a Crescer como Evangelizadores (EG 121)
Parte da tarde: Evangelizadores com Espírito (EG  )

Bibliografia de apoio para esta reflexão:
Evangelii Gaudium, A Alegria do Evangelho;
Diretório da Catequese Doc 100
Manual de Catequética do CELAN

Rever "o que sou", mas não "o que faço".

Objetivo da assembleia:

Compreender o papel do catequista e da comunidade frente à missão de evangelizar.

Primeira parte
Não posso me contentar "com o evangelizador que sou", mas sim "no que devo ser".
Isto é: sempre a caminho, formando-se, complementando-se.

A ação Evangelizadora a ser desempenhada é composta de quatro elementos:
- o Evangelizador (pai, mãe, avó, amigo, padre, doença, comunidade, catequista, namorada, morte);
- o Evangelizado;
- o Conteúdo, seus estágios e suas roupagens;
- Espirito Santo (elemento "complicante", já que não está na nossa ação, mas na dele, que sopra onde e como quer!)

O Evangelizado e o Conteúdo, suas roupagens e estágios.
- Sem luz não enxergo, com muita luz, também não. É preciso acostumar-se à luz abundante do Espírito.

O "perseverante" vai se habituando à luz do Senhor! Ai então irá enxergar Deus agindo na sua, nossa vida.

Primeira constatação:
Quem é o EVANGELIZADO (Catequizando) que me procura. Quem vem a nós?

Primeira mudança paradigmática necessária: "parar de ficar esperando", "venham a nós". Ir para as periferias, em todos os sentidos.

Vejam só: "Inscrição no começo de ano", "catequese com datas definidas", etc, precisam ser repensadas e mudadas. A catequese deve ser/estar presente no cotidiano, não só em momentos escalonados.

Quem vem a nós? A eles dar tudo de bom que há: Jesus.

Acolhida
Tratamentos iguais
A missão de Evangelizar exigirá do catequista e da comunidade posturas diferentes frente a cada uma dessas categorias de "catecúmenos" se quisermos crescer como Evangelizadores.

Identificar a necessidade de cada catequisando.

Primeiro grupo - favorece meios para um profundo encontro com Jesus Cristo, oração, retiro, conversa com Jesus a dois, experimentar JC caminhando conosco na nossa vida, mais pessoal, mais íntima.

Alicerce para a construção da casa (a catequese).
A semente não produz. Pode produzir um dia (Espirito Santo)

Evangelização tem dois sentidos:
- Anúncio explícito de Jesus Cristo como Senhor - Kerigma
- Tudo o que a Igreja realiza para suscitar e alimentar a fé dos fiéis e para transformar o mundo à luz dos valores do reino de Deus (DNC 32)

Estágios da Evangelização:
- primeiro momento: querigma
- segundo momento: catequese - dando-lhe continuidade, com a finalidade de aprofundar e amadurecer a fé, e educando o convertido para que se incorpore à comunidade cristã (continuidade do querigma, não posso construir paredes sem alicerce)
- terceiro momento: ação pastoral - para os fiéis já iniciados na fé, no seio da comunidade cristã, através da formação continuada (DNC 33);
- quarto momento: formação teológica (catequese é atualização e comunicação da Palavra; teologia é seu estudo e reflexão - elas exigem-se e contemplam-se. Manual Catequética Celam p. 105
Manhã - após o intervalo

Crescer como evangelizadores é crescer em "sensibilidade"
Roupagens diferentes para pessoas diferentes, cada realidade.
Exigira sensibilidade do evangelizador para sentir o que o outro precisa.
Partir do que ele gostaria.
Oferecer não o que ele quer, mas o que ele precisa do mesmo jeito que Deus age conosco.

"A Paróquia pode oferecer a possibilidade de formar pequenas comunidades que se reúnam em diversos pontos, em horários e dias diferentes, de maneira que os paroquianos possam ter opções. O importante é criar comunidades com pessoas que se integrem para melhor viver a fé cristã". Doc 100, n. 253

Igreja - casa de porta aberta, sempre, acesso a Jesus Cristo.

EG 46: A Igreja "em saída" é uma Igreja com as portas abertas. Sair em direção aos outros para chegar às periferias humanas não significa correr pelo mundo sem direção nem sentido. Muitas vezes é melhor diminuir o ritmo, pôr de parte a ansiedade para olhar nos olhos e escutar, ou renunciar às urgências para acompanhar quem ficou caído à beira do caminho. às vezes, é como o pai do filho pródigo, que continua com as portas abertas para, quando este voltar, poder entrar sem dificuldade".

Unidade na pluralidade:
- Reconhecer as Identidades
- promover a Pluralidade
- reafirmar a Unidade
- para construir a Comunidade

Teologicamente a palavra "comunidade" significa a união íntima ou comunhão das pessoas entre si e delas com Deus Trindade. Essa comunhão se realiza fundamentalmente pelo Batismo e pela Eucaristia: partilha, comungar na mesma mesa, professar a mesma fé dos apóstolos, testemunhar a caridade que revela o amor de Deus (Doc 100, n.170), respeitando a "roupagem" de cada um.

Noite Cultural:



Fonte: http://abcdiocesepresidenteprudente.blogspot.com.br/
Fotos:Imaculada Cintra

Nenhum comentário: