segunda-feira, 3 de junho de 2019

A Liturgia e a Iniciação à Vida Cristã.

A Tradição da Igreja acredita que a fé celebrada é a fé acreditada e a fé acreditada é a fé celebrada. Lex orandi lex Credendi: a norma da oração estabeleça a norma da fé. No processo de iniciação à vida cristã, e não apenas nele, o serviço de rezar a fé é prestado pela Liturgia.
A Palavra LIT – URGIA vem da língua grega: laos = povo e ergon = ação, trabalho, serviço, ofício...Unindo os dois termos que formam a palavra, encontramos a raiz mais profunda do significado da LITURGIA, ou seja: AÇÃO, trabalho, serviço do povo e realizado em benefício do povo, isto é: um serviço público, como dizemos hoje.[1] 
Dito isto, a consciência primeira do liturgo é de prestar um serviço. A ação litúrgica é direito da comunidade reunida, por isso, quem se manisfesta responsável pela liturgia deve primar pelo caráter comunitário, participativo e testemunhal da fé que celebra.
O que celebramos? A Memória Pascal. “A liturgia [cristã] é a celebração do Mistério Pascal de Cristo. Em volta deste núcleo fundamental da nossa fé, celebramos no Ano Litúrgico a memória do Ressuscitado na vida de cada pessoa e de cada comunidade.”[2] 
O que celebramos? Celebramos aquilo que somos. Uma vez que o mistério celebrado evoca a Paixão, Morte e Ressurreição de Cristo, Filho de Deus, nossa ação litúrgica é memorial de nossa identidade: filhos de Deus pela fé em Jesus Cristo (cf. Gl 3,25-26). Deste modo, a ação litúrgica é marcada pela repetição dos elementos fundantes da fé: o mito. Todo mito necessita ser contado para que seja garantido o núcleo de fé da comunidade religiosa. 
À repetição chama-se rito. “A repetição ajuda a criar o clima da celebração. Não é uma rotina, motivada por falta de criatividade. A repetição, num ritual, é um modo de dar “rosto” ao que estamos vivendo”.[3] O rito e o mito usam da linguagem simbólica para manifestar a realidade de sua intenção e originalidade. Os símbolos, através do rito, revelam o mistério que o mito mantém guardado em segredo. 
O Diretório Nacional de Catequese afirma que “aderir ao rito significa abrir-se ao sentido proposto por aquele grupo e, portanto, assumir sua identidade, fazer parte dele (DNC 116”.[4] 
Ao conjunto da liturgia chamamos celebração. Se celebrar é dizer que nossa ação é célebre, é importante, também dizemos que celebrar é comemorar. Isto é, fazer memória junto com. A comemoração será ação conjunta porque o fato celebrado é também partilhado, é evento comum. Em se tratando de um fato religioso, de caráter confessional, a celebração é ainda mais comunitária. 
Há diferença, portanto, entre: saber que o mito existe, conhecer a composição do rito e aderir ao mistério celebrado. “A celebração é também uma afirmação da identidade que queremos ter”.[5] 
Qual o mito fundante da fé cristã? Qual o rito que conta seu mistério? São respostas que o Catecumenato cristão respondeu na época Patrística e, agora, serve de inspiração para novos métodos de educação na fé. Todo ato litúrgico, por ser celebração do que a razão conhece, deve garantir a adesão consciente do mistério que excede à capacidade intelectual. 
Deste modo, a liturgia é o espaço onde os fieis devem sentir-se à vontade para celebrar o que conhecem. Do contrário, a atenção se desvia para o irrisório de conhecer apenas quem está celebrando comigo e não o que estamos celebrando juntos. A comunidade celebrante dá o sabor da fé que confessamos, da mesma forma que os comensais saboreiam os primeiros frutos da colheita. 
O desafio da iniciação à vida cristã será recuperar o sentido primeiro da fé comunitária que exala o doce odor de Cristo. A iniciação será bem feita quando a comunidade toma consciência de que existe para favorecer a festa. Ela [a comunidade], é o local por excelência da comemoração, por isso, local da celebração.
Ariél Philippi Machado

[1] CNBB. Liturgia em mutirão: subsídios para formação. Brasília: CNBB, 2007. p. 7.
[2] CNBB. Guia Litúrgico-Pastoral. Brasília, CNBB: s.d. p. 7.
[3] CNBB. Celebrar e crescer na fé: Catequese e liturgia. Brasília, CNBB: 2008. p. 7. (Coleção Catequese à luz do Diretório Nacional de Catequese)
[4] CNBB. Diretório Nacional de Catequese.
[5] CNBB. Celebrar e crescer na fé: Catequese e liturgia. Brasília, CNBB: 2008. p. 26. (Coleção Catequese à luz do Diretório Nacional de Catequese)

domingo, 2 de junho de 2019

Novas diretrizes da Igreja no Brasil 2019-2023 são aprovadas pelo episcopado.


As Novas Diretrizes Gerais da Ação Evagelizadora da Igreja no Brasil para o próximo quadriênio (2019 a 2023), após intenso processo de debate e acréscimos dos bispos, foram aprovadas na manhã deste dia 6 de maio pelos participantes da 57ª Assembleia Geral, em Aparecida (SP).
O padre Manoel de Oliveira Filho, membro da Comissão do Texto Central sobre as Diretrizes Gerais da Ação Evangelizadora da Igreja no Brasil (2019-2023) falou ao portal da CNBB sobre o caminho que as novas diretrizes propõem à Igreja no Brasil.
Segundo ele, o central nas Novas Diretrizes é mais uma vez um novo chamado de retorno às fontes para olhar  a experiência das comunidades primitivas e inspirados por elas formar, no hoje da história e na realidade urbana, comunidades eclesiais missionárias.
“Que essas comunidades eclesiais missionárias tenham jeito de casa, de acolhida, não uma coisa estática de paredes simplesmente, ou da estrutura física. Mas, acima de tudo as diretrizes falam de um jeito de ser, de uma postura que lembre, evoque a ideia da casa que acolhe, que é espaço de ternura e misericórdia”, disse.
Os quatro pilares – Padre Manoel reforça que a casa é onde as pessoas são identificadas pelo nome, pelo jeito, onde têm história. Na proposta das diretrizes, lembrou o religioso, a casa é sustentada por quatro pilares essenciais: a) Palavra de Deus e a iniciação à vida cristã; O pilar do Pão que é a casa sustentada pela liturgia e sobre a espiritualidade; o pilar da Caridade que é a casa sustentada sobre o acolhimento fraterno e sobre o cuidado com as pessoas, especialmente os mais frágeis e excluídos e invisíveis; o pilar da Missãoporque é impossível fazer uma experiência profunda com Deus na comunidade eclesial que não leve, inevitavelmente, à vida missionária.
A realidade urbana, fragmentada, carregada de luz e de sombras, mas também cheia de potencialidades, é definida pelo padre muito mais do que um lugar social geográfico mas como uma mentalidade e cultura. “Nesta realidade a Igreja é convidada a ser presença. Como casa. Como comunidade eclesial missionária”, reafirmou.
A diretrizes, segundo ele, apontam para um rumo muito bonito, porque partem de uma perspectiva de encontro com Deus e com os irmãos, numa dinâmica de acolhida, de portas abertas, de ir ao encontro, de espera e acolhida ativa para formar as comunidades.
As Igrejas e comunidades são convidadas, segundo o que propõe as novas diretrizes, a serem luzeiros no meio do mundo. O religioso afirmou que as comunidades podem estar em qualquer lugar: no condomínio, numa praça, no trabalho. “Mas também nas paróquias, comunidades, nos colégios católicos, nas obras sociais”, disse.
“As novas diretrizes apontam para rumos e horizontes muito bonitos de avanço, de comprometimento apostólico e de comprometimento profético-transformador”, destacou.
Segundo ele, a profecia não se dá apenas pela denúncia, embora seja fundamental hoje mais do que nunca, mas também pelo anúncio de um jeito novo de ser e de viver. “Os rumos são os mais bonitos, basta a gente entrar nesta história e caminho”, disse.
Após a assembleia, o religioso aponta que todas as instâncias, as pastorais e organismos, e as Igrejas particulares, toda vida eclesial precisam entrar mesmo neste rumo, na direção apontadas pelas Diretrizes. “Seguir este caminho, acreditar no projeto e proposta. Vamos todos precisar, como todo a vida de Igreja, fazer um caminho de conversão, ler estudar, colocar na mente e descer para o coração para transformar em realidade”, disse.
A CNBB apresenta diretrizes mais gerais, não apresenta um plano; Após a assembleia, segundo padre Manoel, o plano deve ser feito por cada instância da Igreja nas diferentes realidades. “Se a gente acredita no projeto vamos encontrar um caminho para que ele se torne real”, concluiu.

sábado, 1 de junho de 2019

FORMAÇÃO DE DISCÍPULOS MISSIONÁRIOS: CATEQUISTAS E EVANGELIZADORES DA CIDADE DE SANTOS - DIOCESE DE SANTOS.



Aconteceu neste sábado dia 01 de junho a Formação de Discípulos Missionários: Catequistas e Evangelizadores a formação aconteceu na cidade de Santos, na Catedral Diocesana de Santos.


Com a participação de quase 100 catequistas.














Palestrante: Padre Aparecido Neres Santana, CSS - Assessor Eclesiástico da Catequese na Diocese de Santos.


TEMA: PROCESSO DA INICIAÇÃO À VIDA CRISTÃ NA ETAPA DO 

CATECUMENATO, UM TEMPO DE APROFUNDAMENTO.



Proclamação da Palavra



A Comissão ABC agradece a acolhida de do Pároco Claudenil Moraes da Silva e de todos da Comunidade.














Esta mesma formação estará acontecendo em todas as cidades de nossa Diocese.

Próxima será na cidade de Cubatão, no dia 29 de junho as 14h30.

Comissão AB-C Diocese de Santos/SP.

quarta-feira, 29 de maio de 2019

FORMAÇÃO DE DISCÍPULOS MISSIONÁRIOS: CATEQUISTAS E EVANGELIZADORES DA CIDADE DE SANTOS - DIOCESE DE SANTOS.




A Comissão para a Animação Bíblico Catequética da Diocese de Santos está convocando todos os Evangelizadores e Catequistas de criança, jovens e adultos (Batismo, Crisma e Eucaristia), Pastoral da Liturgia, e a Comissão de Iniciação à Vida Cristã Paroquial para participar de uma Formação que será na cidade de Santos, na Catedral Nossa Senhora do Rosário - Diocese de Santos, dia 01 de junho às 8h30.







TEMA: PROCESSO DA INICIAÇÃO À VIDA CRISTÃ NA ETAPA DO CATECUMENATO, UM TEMPO DE APROFUNDAMENTO.

OBJETIVO 1: Proporcionar uma compreensão da Palavra de Deus em vista do amadurecimento da Fé e sua vivencia em nossa vida.

OBJETIVO 2: Aprofundamento do Processo da Iniciação à Vida Cristã na etapa do Catecumenato.



Palestrante: Padre Aparecido Neres Santana


LOCAL: Catedral Nossa Senhora do Rosário





Telefone: (13) 3224-1593 / 3232-4593
Endereço: Praça Patriarca José Bonifácio, s/nº. 
Bairro: Centro
Cidade: Santos
Dia: Sábado, 01 de junho de 2019.
Hora: 8h30.

Trazer a Bíblia e o Itinerário Catequético.

Participem!

Esta formação acontecerá em todas as cidades de nossa Diocese. Mais informações em sua Paróquia.

Comissão AB-C da Diocese de Santos







sábado, 25 de maio de 2019

FORMAÇÃO DE DISCÍPULOS MISSIONÁRIOS: CATEQUISTAS E EVANGELIZADORES DA CIDADE DE PERUÍBE - DIOCESE DE SANTOS.



Aconteceu neste sábado dia 25 de maio a Formação de Discípulos Missionários: Catequistas e Evangelizadores a formação aconteceu na cidade de Peruíbe, Paróquia São João Batista.






Participaram 64 catequistas e contamos com a presença do pároco padre Marco Antônio Rossi.



Palestrante foi Padre Aparecido Neres Santana.




TEMA: PROCESSO DA INICIAÇÃO À VIDA CRISTÃ NA ETAPA DO 

CATECUMENATO, UM TEMPO DE APROFUNDAMENTO.


















A Comissão ABC agradece a acolhida de todos da Comunidade.

Esta mesma formação estará acontecendo em todas as cidades de nossa Diocese.

Próxima será na cidade de Santos, Local Catedral Diocesana de Santos no dia 01 de junho as 8h30.

Fotos: Paróquia São João Batista. Pascom. 

terça-feira, 21 de maio de 2019

FORMAÇÃO DE DISCÍPULOS MISSIONÁRIOS: CATEQUISTAS E EVANGELIZADORES DA CIDADE DE PERUÍBE - DIOCESE DE SANTOS.


A Comissão para a Animação Bíblico Catequética da Diocese de Santos está convocando todos os Evangelizadores e Catequistas de criança, jovens e adultos (Batismo, Crisma e Eucaristia), Pastoral da Liturgia, e a Comissão de Iniciação à Vida Cristã Paroquial para participar de uma Formação que será na cidade de Peruíbe, na Paróquia Matriz São João Batista, dia 25 de maio às 14h.


TEMA: PROCESSO DA INICIAÇÃO À VIDA CRISTÃ NA ETAPA DO CATECUMENATO, UM TEMPO DE APROFUNDAMENTO.

OBJETIVO 1: Proporcionar uma compreensão da Palavra de Deus em vista do amadurecimento da Fé e sua vivencia em nossa vida.

OBJETIVO 2: Aprofundamento do Processo da Iniciação à Vida Cristã na etapa do Catecumenato.


Palestrante: Padre Aparecido Neres Santana



LOCAL: Paróquia Matriz São João Batista

Telefone: (13)3455-1491
Endereço: Praça Mons. Lino dos Passos, 52.
Bairro: Centro 
Cidade: Peruíbe. 
Dia: Sábado, 25 de maio de 2019.
Hora: 14h.

Trazer a Bíblia e o Itinerário Catequético.

Participem!

Esta formação acontecerá em todas as cidades de nossa Diocese. Mais informações em sua Paróquia.

Comissão AB-C da Diocese de Santos

sábado, 18 de maio de 2019

Formação de Discípulos Missionários: Catequistas e Evangelizadores da cidade do Guarujá


Aconteceu neste sábado dia 18 de maio às 14h a Formação de Discípulos Missionários: Catequistas e Evangelizadores da cidade do Guarujá.

Tema: Processo da Iniciação a Vida Cristã na Etapa do Catecumenato, um tempo de aprofundamento. 

Palestrante: Padre Aparecido Neres Santana,CSS
O encontro aconteceu na Paróquia Matriz Senhor Bom Jesus. Vila Zilda. Contou com a presença de 83 discípulos missionários.
A Comissão agradece a acolhida da Comunidade e a Carta escrita pelo Pároco Elmiran, acolhendo-nos em sua paróquia.
Momento da leitura da Carta escrita por Padre Elmiran.












Esta mesma formação estará acontecendo em todas as cidades de nossa diocese, mais informações com sua coordenadora paroquial ou com a Comissão de IVC Paroquial.

Comissão AB-C Diocese de Santos

Fotos: Comissão AB-C e da Paróquia Senhor Bom Jesus.

Próxima formação será na cidade de Peruíbe, dia 25 de maio às 14h,
Paróquia São João Batista.

segunda-feira, 13 de maio de 2019

FORMAÇÃO DE DISCÍPULOS MISSIONÁRIOS: CATEQUISTAS E EVANGELIZADORES DA CIDADE DO GUARUJÁ - DIOCESE DE SANTOS.




A Comissão para a Animação Bíblico Catequética da Diocese de Santos está convocando todos os Evangelizadores e Catequistas de criança, jovens e adultos (Batismo, Crisma e Eucaristia), Pastoral da Liturgia, e a Comissão de Iniciação à Vida Cristã Paroquial para participar de uma Formação que será na cidade do Guarujá, na Paróquia Matriz Senhor Bom Jesus, dia 18 de maio às 14h.






TEMA: PROCESSO DA INICIAÇÃO À VIDA CRISTÃ NA ETAPA DO CATECUMENATO, UM TEMPO DE APROFUNDAMENTO.

OBJETIVO 1: Proporcionar uma compreensão da Palavra de Deus em vista do amadurecimento da Fé e sua vivencia em nossa vida.

OBJETIVO 2: Aprofundamento do Processo da Iniciação à Vida Cristã na etapa do Catecumenato.


Palestrante: Padre Aparecido Neres Santana


LOCAL: Paróquia Matriz Senhor Bom Jesus



Telefone: (13)3355-1887
Endereço: Rua Heleno Corrêa de Lima, 365.
Bairro: Vila Zilda
Cidade: Guarujá
Dia: Sábado, 18 de maio de 2019.
Hora: 14h.

Trazer a Bíblia e o Itinerário Catequético.

Participem!

Esta formação acontecerá em todas as cidades de nossa Diocese. Mais informações em sua Paróquia.

Comissão AB-C da Diocese de Santos