quarta-feira, 17 de maio de 2017

FORMAÇÃO DE CATEQUISTAS E EVANGELIZADORES DIOCESE DE SANTOS/SP


TEMA: INICIAÇÃO À VIDA CRISTà

UM PROCESSO DE INSPIRAÇÃO CATECUMENAL NA COMUNIDADE 


A Comissão para à Animação Bíblico-Catequética da Diocese de Santos, está realizando nas cidades da Diocese, a formação de Catequistas e Evangelizadores. 

Estão convidados todos os catequistas (catequese infantil, adolescentes, jovens e adultos), isto é catequistas, evangelizadores e agentes que trabalham com a Crisma e Batismo. 

Também estão convidados as Pastorais da Liturgia e Vocacional. 


Formador:  
Pe. Aparecido Neres Santana, Assessor Eclesiástico da Comissão AB-C Diocesana .

Material: 
Trazer a Bíblia, o Itinerário Catequético, e um caderno para anotações. 


Confira a agenda das formações, veja a sua cidade ou região.

AGENDA MAIO/2017

Ø  Encontro de Formação de Catequistas e Evangelizadores:
  
Regiões: Centro I, II e Orla Cidade de Santos 
  19 de maio sexta-feira às 19h -      

                         Paróquia Sagrado Coração de Jesus

Telefone: (13)3236-8155 
Endereco: Av. Bartolomeu de Gusmão, 114.
Bairro: Aparecida 
Cidade: Santos 

---------------------------------------------------------------------------------------

   Cidade de Cubatão – 20 de maio sábado às 14h.  


Paróquia Nossa Senhora da Lapa

Telefone: (13)3361-1272 
Endereco: Av. Nove de Abril, 1947.
Bairro: Centro 
Cidade: Cubatão 
  
--------------------------------------------------------------------------------------

Ø  Mídias de nossa Comissão: visite e entre em contato!
    ü  Facebook: www.facebook.com/abcsantos
    ü  E-mail: abcdiocesedesantos@gmail.com



Catequistas e Evangelizadores  sua participação é muito importante!

Teremos o Itinerário para vender ao custo de R$ 10,00.



Comissão AB-C - Diocese de Santos 

quarta-feira, 3 de maio de 2017

Artigo de Maio de 2017 - Pe. Aparecido Neres Santana, CSS

VIVER O MANDAMENTO DO AMOR, OBRA DO ESPÍRITO SANTO, NA VIDA DO DISCÍPULO MISSIONÁRIO.

Neste Artigo, Catequético Bíblico-Missionário, refletiremos sobre o Evangelho de São João, 14, 15-21, do 6° domingo da Páscoa. A centralidade do texto, está na vivencia dos mandamentos, especialmente o do Amor, além do anúncio feito pelo Senhor de enviar o Espírito Santo Paráclito. Jesus fala do “Àgape”, do Amor incondicional, do amor-caridade, “Se me amais, guardareis os meus mandamentos... e ele vós dará um outro Defensor” (Jo 14,15), o Paráclito, que em grego significa: aquele que defende, que auxilia, que infunde animo. Este trecho, encontra-se no contexto de despedida de Jesus, na Última Ceia. Ele volta para junto do Pai, mas os discípulos não ficarão órfãos, “Ainda um pouco e o mundo não mais me verá, mas vós me vereis” (Jo 14,19). Aqui está implícita, a continuidade da Sua Missão pelos discípulos (a Igreja, que somos todos nós).
No contexto sócio-político, econômico e religioso em que viviam os discípulos, e das primeiras comunidades, era de exploração e perseguição em todos os níveis. Dentro desse cenário é que se compreende que o Paráclito, o Defensor, que Jesus vai mandar, vem para os discípulos, não para o mundo. O evangelista João nos apresenta uma oposição entre os discípulos e o mundo (Jo 14, 19).  Para o mundo, Jesus desaparecerá para sempre (cf. Jo 7,34; 8,21), para os discípulos não. Por isso, os discípulos receberão o Espírito Santo e o mundo não. No amor a Jesus está o querígma, o anúncio central da nossa fé. Do amor maior, o “Ágape” “Ninguém tem amor maior do que aquele que dá a vida por seus amigos” (Jo, 15,13), que procede do Pai e do Filho e permanece no Espírito Santo.
A ressurreição, a Pascoa do Senhor, é o grito, por todo e sempre, da vida que vence a morte. Na ressurreição está ancorada e centrada a Fé cristã. Por isso, o discípulo-missionário, não pode ter medo, mas com a força da fé, anunciar com alegria o Reino da Vida.

Para refletirmos: É a Ação do Espírito Santo que nos capacita e nos envia para a Missionariedade; Será que como catequistas e evangelizadores, estamos seguindo este Caminho, proposto por Jesus? Em nossa Comunidade e no Caminho catequético, estamos levando e dando testemunho aos nossos catequizandos a seguirem o caminho de viver o Mandamento do Amor? 


Pe. Aparecido Neres Santana, Assessor Eclesiástico da Comissão Ab-C



AGENDA MAIO/2017

Ø  Encontro de Formação de Catequistas e Evangelizadores:
  
   -Bertioga – 05 de maio às 19h Capela N.S.Graças - Rivieira
   -São Vicente – 12 de maio às 19h Paróquia N.S.Amparo
   -Centro I, II, Orla – 19 de maio às 19h
   -Cubatão – 20 de maio às 13h
   
  
Ø  Mídias de nossa Comissão: visite e entre em contato!
    ü  Facebook: www.facebook.com/abcsantos
    ü  E-mail: abcdiocesedesantos@gmail.com

Comissão Ab-C Diocese de Santos/SP

terça-feira, 2 de maio de 2017

ENCONTRO DE FORMAÇÃO DA COMISSÃO DE INICIAÇÃO À VIDA CRISTÃ PAROQUIAL

O encontro aconteceu no dia 02 de maio de 2017, no Centro Diocesano de Pastoral- com a presença dos Padres Assessores Regionais da Catequese e Catequistas Coordenares Regionais. 

O encontro foi assessorado por Pe. Aparecido Neres Santana, CSS e Comissão para à Animação Bíblico-Catequética. 
1.     INTRODUÇÃO


 Podemos iniciar esta introdução com uma pergunta – Porque mudar o modelo de catequese já sedimentado a muitas décadas? Não é preciso fazer um grande esforço, para percebermos da necessidade de mudança. Vejamos pelos resultados: quantas pessoas foram batizadas, mas estão afastadas da Igreja? Não são fiéis aos compromissos do cristão, de participarem como pede um dos mandamentos da Igreja, Cf. Catecismo da Igreja Católica “O primeiro mandamento da Igreja (‘participar missa inteira nos domingos e festas de guarda’) ordena aos fiéis que tomam parte na celebração eucarística onde se reúna a comunidade cristã, no dia que comemora a ressurreição do Senhor” (n° 2042). E ainda: quantos receberam os três sacramentos de iniciação à vida crista, e em seguida se afastaram da Igreja. Percebemos cientificamente, isto é, pelas pesquisas que saem periodicamente, a diminuição do número dos católicos que, como ovelhas sem pastor, ficam indo de um lado para o outro, sem rumo ou direção. As famílias não iniciam mais os filhos na fé, como primeiros catequistas, nem com as orações básicas dos cristãos! Talvez teríamos um “rosário” de razões do porquê de buscar outro modelo. 


 2.     CATEQUESE DE INSPIRAÇÃO CATECUMENAL
Porque, tomar como inspiração para esse novo modelo, o Catecumenato Primitivo? Porque, tê-lo como paradigma? Afinal, já se passaram quase dois mil anos? Primeiro: não é a mesma coisa, nem do mesmo jeito. Mas sim, nos moldes, na força e no espírito desse modelo, que levava as pessoas a um engajamento de corpo e alma, na vivência da fé, indo até as últimas consequências, de dar a própria vida se preciso fosse. No ardor, e na dor da martiria (em grego martys), homens e mulheres que testemunhavam e morriam pela fé. Essa era uma das razões da preparação ser, no catecumenato primitivo, num período de dois a três anos, para poder receber os sacramentos de iniciação à vida cristã. Ser cristão era como assinar a própria sentença de morte. Ademais, atualmente, com os grandes sinais vindos do Vaticano II, e mais fortemente, no primeiro Diretório Catequético Geral da Sé Apostólica de 1971, foram publicados, o RICA (Ritual de Catequese para Adultos), mais tarde o Diretório Nacional de Catequese, e tantos outros, trazendo no seu bojo um esforço monumental, e indicando como novo paradigma de modelo para a catequese, o catecumenato primitivo. Mais recentemente, também o Documento de Aparecida. Assim, entendemos que nessa insistência da Igreja, por meio de tantos documentos, é o Espírito Santo de Deus que fala.
3.     Estrutura da iniciação à Vida Crista com suas etapas.
3.1.         Pré-Catecumenato 

3.2.         Catecumenato
3.3.         Purificação/Iluminação
3.4.         Mistagogia
4.     A importância da Comissão de Iniciação à Vida Cristã Paroquial.

4.1.         Constituição da IVC
4.2.         Responsabilidades
5.     A importância da Liturgia no processo da IVC
5.1.         A importância da festa
5.2.         Festa de acolhida e inscrição
5.3.         Momentos e Ritos festivos
5.4.         Celebração festiva dos sacramentos
6.     A importância da Comunidade no processo da IVC

7.     O Ministérios dos Introdutores e Padrinhos, no processo da IVC
8.     Participação dos Pais no processo catequético
9.     Eixo Temático da várias fases
10.            Estruturas Metodológicas  do Encontro
10.1.    O caminho é o dos discípulos de Emaús
10.2.    Vida, Bíblia e Comunidade
10.3.    Método da leitura Orante.

10.3.1.                   Realidade da Vida - O que a nossa vida está dizendo?
10.3.2.                   Escutar - O que o texto está dizendo?
10.3.3.                   Meditar - O que o texto diz para mim/nós?
10.3.4.                   Rezar - O que o texto me faz dizer a Deus?
10.3.5.                   Contemplar – Olhar a vida com os olhos de Deus.
10.3.6.                   Compromisso – O que a palavra de Deus me leva a fazer?



 Diocese de Santos /SP




sábado, 22 de abril de 2017

Encontro de Preparação de Agentes do Batismo - Região Litoral Sul - Diocese de Santos

No espírito da Iniciação à Vida Cristã de Inspiração Catecumenal, a Comissão para à Animação Bíblico-Catequética (AB-C) está promovendo encontros de formação para agentes da Pastoral do Batismo, de acordo com a proposta do “Encontro de Preparação de Pais e Padrinhos”. 


Todos os agentes que trabalham com o Batismo, das Paróquias da Região Litoral Sul
 (Cidades de Itanhaém e Peruíbe) estão convocados. 

29 de abril das 8h às 12h -



APRESENTAÇÃO DE DOM  TARCÍSIO

A preparação de pais e padrinhos para o Batismo de crianças é um momento oportuno para aprofundar a vivência da fé. Para o melhor proveito espiritual deste momento, mais do que usar uma linguagem de curso, é muito útil fazer tudo em forma mais mistagógica (a palavra significa “introdução ao mistério”).
Para isto, apresento-lhes esta proposta de Encontro de Preparação de Pais e Padrinhos, em forma de celebração. Esta metodologia já foi experimentada em vários lugares, com ótimos resultados. Ela ajuda a superar a metodologia de curso, inspirada mais no sistema escolar e numa catequese que enfatiza a formação doutrinal.
Recomendo a todos os catequistas e agentes da Pastoral do Batismo a usarem esta celebração como forma de preparação dos pais e padrinhos. Ela pode ser feita em apenas um dia, prevendo-se o tempo suficiente para toda a celebração, ou também pode ser feita por partes, em dias diferentes, conforme a conveniência pastoral de cada lugar.
Na alegria de acolher na comunidade novos irmãos e irmãs pelo Batismo, e desejando colaborar com os pais e padrinhos na missão divina que assumem ao pedir o Batismo, invoco sobre todos as bênçãos do Senhor.


Paróquia São João Batista - Peruíbe
Telefone: (13)3455-1491
Endereço: Praça Mons. Lino dos Passos, 52.
Bairro: Centro 
Cidade: Peruíbe 
CEP: 11750-000 

Acesse o mapa para chegar na Paróquia


Contamos com a presença de todos.


Fonte: Diocese de Santos - Guadalupe
Comissão AB-C  Diocese de Santos/SP

domingo, 9 de abril de 2017

Artigo de Abril 2017 - Pe. Aparecido Neres Santana

Páscoa: o discípulo missionário anuncia a vitória da vida
sobre a morte.



A partir do Domingo da Páscoa da Ressurreição, do Evangelho de São João 20, 1-9, refletiremos sobre o Mistério Pascal do Senhor Jesus. O início do Evangelho diz: “No primeiro dia da semana, Maria Madalena foi ao túmulo de Jesus” (Jo, 20,1). São João salienta a importância do “primeiro dia da semana”. Este dia tornou-se o “Dia do Senhor”, o domingo Cristão (cf. Ap 1,10). Com isso, ele nos remete ao relato da Criação em Gênesis, no “primeiro dia”, em que Deus criou o mundo (cf. Gn 1, 1-8). Nesta relação da Criação de Deus com a Ressurreição de Jesus, podemos ver que, em Cristo, somos nova criatura. Deus recria em Jesus a pessoa nova, o novo Adão. O dia da Ressurreição é o ‘dia dos dias’: “Este é o dia que o Senhor fez, exultemos e alegremo-nos nele!” (Sl 117,24). O segundo ponto a destacar é a palavra “túmulo” (que aparece sete vezes), e o verbo “ver” (que é citado quatro vezes). Vejamos: “túmulo vazio” aparece, primeiramente, como incredulidade dos discípulos, como falta de fé da comunidade e de não entendimento das “Escrituras” (Jo 20,9). Depois, num segundo momento, como ‘iluminação’: “O outro discípulo... entrou ao túmulo. Ele viu, e acreditou” (Jo 20,8). Sim! É a certeza incontestável da Ressurreição do Senhor Jesus. É a certeza de que os algozes - isto é, os poderes político, econômico e religioso -, que crucificaram o Senhor, não venceram. Que o “túmulo” agora vazio não significou a derrota nem a última palavra, porque a última palavra é de Deus. Nesta perícope tanto o “ver” de Maria Madalena - mesmo que demonstrando uma fé incipiente e tímida, com a afirmação “retiraram o Senhor do sepulcro” (Jo 20,2) -, quanto o “ver” do discípulo amado e do apóstolo Simão Pedro - “que entrou no túmulo, viu e acreditou” (Jo 20,8) -, mostram como a Comunidade vai, aos poucos, tendo a certeza de que Jesus havia ressuscitado de fato, e crescendo na fé, iluminada pela novidade da Ressurreição. Neste contexto, Maria Madalena passa a ser a primeira anunciadora da ressurreição de Jesus. Portanto, celebrar a Páscoa é celebrar a Vida que vence a morte! A Páscoa é o dia do discipulado missionário, de sair e anunciar a alegria da Vida que vence a morte! Ademais, a fé cristã nos impulsiona a “sair” (somos uma Igreja em “saída”), “ver” Jesus nos crucificados de hoje (Mt, 25,31ss) e como discípulos missionários nos colocarmos ao seu lado e gritar que o Reino de Deus e da “Vida” é para todos (Jo 10,10). Para refletirmos: Como e onde percebemos os sinais de Cristo Ressuscitado na vida pessoal, na comunidade e na sociedade? Mesmo diante das dificuldades da vida, conseguimos encontrar, na Ressurreição de Jesus, ânimo para nossa vida pessoal e missão evangelizadora? Ou vivo uma eterna “sexta feira da paixão”?

Pe. Aparecido Neres Santana - Assessor Eclesiástico da Comissão Ab-C

quarta-feira, 29 de março de 2017

Encontro de Preparação de Agentes do Batismo - Cidade de Santos - Diocese de Santos




No espírito da Iniciação à Vida Cristã de Inspiração Catecumenal, a Comissão de Animação Bíblico-Catequética (AB-C) está promovendo encontros de formação para agentes da Pastoral do Batismo, de acordo com a proposta do “Encontro de Preparação de Pais e Padrinhos”. 






Todos os agentes, das Paróquias da Cidade de Santos estão convocados. 


Regiões Centro I - II e Orla (Santos): 01 de abril das 8h às 12h -
Paróquia Nossa Senhora Aparecida - Santos.


Endereco: Av. Afonso Pena, 614.  - Bairro: Aparecida  - Cidade: Santos
Telefone: 3301-9846 / 3302-0520 
 Acesse o mapa para chegar na Paróquia


APRESENTAÇÃO DE DOM  TARCÍSIO

A preparação de pais e padrinhos para o Batismo de crianças é um momento oportuno para aprofundar a vivência da fé. Para o melhor proveito espiritual deste momento, mais do que usar uma linguagem de curso, é muito útil fazer tudo em forma mais mistagógica (a palavra significa “introdução ao mistério”).
Para isto, apresento-lhes esta proposta de Encontro de Preparação de Pais e Padrinhos, em forma de celebração. Esta metodologia já foi experimentada em vários lugares, com ótimos resultados. Ela ajuda a superar a metodologia de curso, inspirada mais no sistema escolar e numa catequese que enfatiza a formação doutrinal.
Recomendo a todos os catequistas e agentes da Pastoral do Batismo a usarem esta celebração como forma de preparação dos pais e padrinhos. Ela pode ser feita em apenas um dia, prevendo-se o tempo suficiente para toda a celebração, ou também pode ser feita por partes, em dias diferentes, conforme a conveniência pastoral de cada lugar.
Na alegria de acolher na comunidade novos irmãos e irmãs pelo Batismo, e desejando colaborar com os pais e padrinhos na missão divina que assumem ao pedir o Batismo, invoco sobre todos as bênçãos do Senhor.

Contamos com a presença de todos.

Confira no calendário a próxima região:

Região Litoral Sul (Itanhaém e Peruíbe): 29 de abril das 8h às 12h Paróquia São João Batista - Centro - Peruíbe


Fonte: Diocese de Santos - Guadalupe
Comissão AB-C  Diocese de Santos/SP