domingo, 9 de abril de 2017

Artigo de Abril 2017 - Pe. Aparecido Neres Santana

Páscoa: o discípulo missionário anuncia a vitória da vida
sobre a morte.



A partir do Domingo da Páscoa da Ressurreição, do Evangelho de São João 20, 1-9, refletiremos sobre o Mistério Pascal do Senhor Jesus. O início do Evangelho diz: “No primeiro dia da semana, Maria Madalena foi ao túmulo de Jesus” (Jo, 20,1). São João salienta a importância do “primeiro dia da semana”. Este dia tornou-se o “Dia do Senhor”, o domingo Cristão (cf. Ap 1,10). Com isso, ele nos remete ao relato da Criação em Gênesis, no “primeiro dia”, em que Deus criou o mundo (cf. Gn 1, 1-8). Nesta relação da Criação de Deus com a Ressurreição de Jesus, podemos ver que, em Cristo, somos nova criatura. Deus recria em Jesus a pessoa nova, o novo Adão. O dia da Ressurreição é o ‘dia dos dias’: “Este é o dia que o Senhor fez, exultemos e alegremo-nos nele!” (Sl 117,24). O segundo ponto a destacar é a palavra “túmulo” (que aparece sete vezes), e o verbo “ver” (que é citado quatro vezes). Vejamos: “túmulo vazio” aparece, primeiramente, como incredulidade dos discípulos, como falta de fé da comunidade e de não entendimento das “Escrituras” (Jo 20,9). Depois, num segundo momento, como ‘iluminação’: “O outro discípulo... entrou ao túmulo. Ele viu, e acreditou” (Jo 20,8). Sim! É a certeza incontestável da Ressurreição do Senhor Jesus. É a certeza de que os algozes - isto é, os poderes político, econômico e religioso -, que crucificaram o Senhor, não venceram. Que o “túmulo” agora vazio não significou a derrota nem a última palavra, porque a última palavra é de Deus. Nesta perícope tanto o “ver” de Maria Madalena - mesmo que demonstrando uma fé incipiente e tímida, com a afirmação “retiraram o Senhor do sepulcro” (Jo 20,2) -, quanto o “ver” do discípulo amado e do apóstolo Simão Pedro - “que entrou no túmulo, viu e acreditou” (Jo 20,8) -, mostram como a Comunidade vai, aos poucos, tendo a certeza de que Jesus havia ressuscitado de fato, e crescendo na fé, iluminada pela novidade da Ressurreição. Neste contexto, Maria Madalena passa a ser a primeira anunciadora da ressurreição de Jesus. Portanto, celebrar a Páscoa é celebrar a Vida que vence a morte! A Páscoa é o dia do discipulado missionário, de sair e anunciar a alegria da Vida que vence a morte! Ademais, a fé cristã nos impulsiona a “sair” (somos uma Igreja em “saída”), “ver” Jesus nos crucificados de hoje (Mt, 25,31ss) e como discípulos missionários nos colocarmos ao seu lado e gritar que o Reino de Deus e da “Vida” é para todos (Jo 10,10). Para refletirmos: Como e onde percebemos os sinais de Cristo Ressuscitado na vida pessoal, na comunidade e na sociedade? Mesmo diante das dificuldades da vida, conseguimos encontrar, na Ressurreição de Jesus, ânimo para nossa vida pessoal e missão evangelizadora? Ou vivo uma eterna “sexta feira da paixão”?

Pe. Aparecido Neres Santana - Assessor Eclesiástico da Comissão Ab-C

Nenhum comentário: