sábado, 8 de outubro de 2016

Artigo Pe. Aparecido Neres Santana, outubro 2016.

Missionariedade: A fé que salva.


A espiritualidade do discípulo missionário nasce do amor, da compaixão de Deus Pai, revelada em Jesus, que salva a pessoa humana na totalidade, isto é, cura o corpo e a alma (cf. Lc 17,13 : “Jesus, mestre, tem compaixão de nós!”). Vamos no texto Bíblico do 28° DTC, em Lc 17, 11-19, onde Jesus cura dez leprosos, dentre eles um Samaritano, que volta e se ajoelha para agradecer. Primeiro, chama a atenção o fato de os leprosos aproximarem-se de Jesus. Isto não era concebível naquele tempo! Segundo, os judeus e os samaritanos não se davam, no entanto, os dez leprosos (nove judeus e um samaritano) estão juntos pela exclusão, pela sobrevivência. Pela Lei, os leprosos eram excluídos do convívio da comunidade, porque além da doença física havia a espiritual, e eles eram considerados pecadores, o que significava duplo castigo. Eles ficavam fora das cidades, nas montanhas, com um sino no pescoço, para ninguém se aproximar. Podiam voltar ao convívio da comunidade se fossem curados e, somente após a cura, deviam apresentar-se aos sacerdotes (“Ide, mostrais-vos aos sacerdotes”), que lhes davam a garantia da cura. A tônica do texto está na volta do estrangeiro, um samaritano, para agradecer e dar glória a Deus (assim como Naamã, o Sírio, em 2Rs 5,15). Jesus questiona, fazendo a tríplice pergunta: “Não foram dez os curados? E os outros nove, onde estão?” Não houve quem voltasse para dar glória a Deus, a não ser este estrangeiro? O samaritano, que volta e se joga aos pés de Jesus, glorificando a Deus em alta voz, obtém, não somente a cura física, mas também a cura espiritual, ele é curado na totalidade. E disse-lhe Jesus: “Levanta-te e vai! Tua fé te salvou”. O que Lucas quer ressaltar, talvez mais do que a cura da lepra e a gratidão, é a fé que salva, a importância de voltar-se para Jesus. “Voltar” é um verbo que indica a conversão, de tornar-se discípulo de Jesus, que é a fonte da vida.

Reflexão: Hoje são tantas as lepras que atingem as pessoas, na sociedade em que vivemos: as doenças, as drogas, vícios, a fome de poder e de sucesso, corrupção, desemprego, entre outros. Como curar todas as lepras? Em nosso Plano Diocesano de Evangelização, encontramos na Urgência 5 vários projetos que ajudam a curar as pessoas. Como colocá-los em prática? Vamos dar uma olhada?

Pe. Aparecido Neres Santana - Assessor Eclesiástico da Comissão Ab-C

Nenhum comentário: